31 de março de 2015

#Kiss: 15 bandas que abriram shows deles e se tornaram famosos


Já são quarenta e um anos de carreira e trinta e uma turnês acumuladas pelo KISS. Durante esse período, Paul Stanley e Gene Simmons, os lideres da auto-intitulada banda mais quente do mundo, sempre se gabaram de poder escolher os grupos que fariam a abertura de seus concertos. Além de toda pirotecnia, performances infernais, baixista que cospe fogo e vomita sangue, guitarra que atira, bateria que levita e vocalista que voa, uma boa banda de abertura é fundamental para um show memorável. Quinze desses grupos que deram o ar de sua graça, abrilhantando shows do KISS viriam a ganhar o mundo e conhecer fama e fortuna. Acompanhe quem são eles, em uma matéria do site VH1 que o próprio Paul Stanley compartilhou em seu perfil no facebook.

01. RUSH (1975)

O KISS lançara seu disco "Dressed To Kill" e iniciava a tour que geraria o clássica "Alive!". Os canadenses haviam incluído o baterista Neil Peart também como letrista e lançariam nesse mesmo ano dois de seus discos mais clássicos: "Fly By Night" e "Caress of Steel". Se quando começaram a tocar a juntos a platéia era de 3 a 5mil pessoas, dezesseis shows depois, os grupos começaram a lotar arenas.

02. BLUE ÖYSTER CULT (1976)

31 de dezembro de 1973, data em que não somente Gene Simmons colocou fogo no próprio cabelo da primeira vez, como também o KISS estreou ao vivo... abrindo para o BLUE ÖYSTER CULT. Pouco mais de dois anos depois, o KISS fazia a turnê do disco "Destroyer" e chamou os colegas nova-iorquinos para fazerem a abertura de seus shows. Logo, o B.Ö.C. lançou o disco "Agents of Fortune", que continha seu maior clássico "Don't Fear the Reaper".

03. SCORPIONS (1976)

Ainda em 1976, a segunda parte da turnê do "Destroyer" teve como abertura o grupo alemão SCORPIONS. Nesta época eles já gozavam de grande prestigio e desfrutavam os bons louros do LP "Virgin Killer", porém ainda nada perto da fama que alcançariam na próxima década.

04. TED NUGENT (1976-77)

Se Gene Simmons é linguarudo em sentido real, quem seria mais falastrão que o Rocker de Detroit? Além dessa coincidência ambos cantores são conhecidos por não beber ou usar drogas. Durante a tour do disco "Rock'n'Roll Over", NUGENT fez a abertura, que coincidiu com seu mega-hit "Cat Scrath Fever".

05. SAMMY HAGAR (1977)

Saindo do seminal grupo de Hard Rock MONTROSE, o Red Rocker queria estar próximo de bandas pesadas em sua recém-inaugurada carreira solo. Ainda que as gravadores pedissem sons mais pops SAMMY HAGAR tocou pesado durante o tour do LP "Love Gun". Anos mais tarde começou a ganhar reconhecimento como artista solo, culminando no disco "VOA", antes de ingressar no VAN HALEN e ser o talento conhecido e admirado mundialmente.

06. AC/DC (1977-78)

Após a fabulosa trinca de discos "High Voltage", "Dirty Deeds Done Dirt Cheap" e "Let There Be Rock", os rockers australianos embarcaram com o KISS durante a tour do LP "Alive II". Como resultado, voltaram para casa, e com a produção de Mutt Lange, soltaram um de seus mais icônicos discos "Highway to Hell". Infelizmente, esse foi o último disco de estúdio com o vocalista Bon Scott, que faleceria logo depois.

07. JUDAS PRIEST (1979)

1979 foi o ano de formação do movimento chamado New Wave of British Heavy Metal. Um dos baluartes dessa nova geração era a já clássica banda JUDAS PRIEST, que embarcou com o KISS na tour do disco "Dynasty". Um ano depois saia "British Steel", não o disco mais aclamado dos ingleses como simbolo máximo da N.W.O.B.H.M.

08. IRON MAIDEN (1980)

Europa, Austrália e Nova Zelândia puderam conferir esta fabulosa união do KISS com o IRON MAIDEN que se tornaria a mais bem sucedida banda do Heavy Metal mundial. Enquanto a Donzela de Ferro ia de vento em pompa, o KISS perdia o baterista Peter Criss e Ace Frehley participava cada vez menos.

09. MÖTLEY CRÜE (1983)

Sem fazer turnê para o disco "(Music from) the Elder" e após voltar com peso total no álbum "Creatures Of The Night", foi na promoção do play "Lick it Up" que o KISS entrou mesmo nos anos oitenta. Como abertura, o maior representante do Dark Glam naquele momento, e que logo soltaria seu clássico "Shout At The Devil", o MÖTLEY CRÜE.

10. BON JOVI (1984)

Em sua época aurea do primeiro disco, quando não tinha vergonha da cabeleira, calça apertada e estampa de zebra, o grupo de New Jersey BON JOVI abriu a tour do disco "Animalize" do KISS. Nessa época os ex-mascarados aumentaram sua fama com "Heavens of Fire", enquanto o fã (e conterrâneo) de BRUCE SPRINGSTEEN construía uma carreira sólida e que se mantém no topo até hoje.

11. ANTHRAX (1987-88)

Se OZZY OSBOURNE gaba-se de ter chamado o METALLICA para abrir seus shows em 1986, o KISS tem o orgulho de ter contado com o apoio do ANTHRAX durante a divulgação do disco "Crazy Nights". Ainda que underground no período, não obstante o sucesso do álbum "Among the Living", o grupo de Thrash Metal conheceria sua maior fama com o LP "Time" que sairia em 1990.

12. GUNS 'N' ROSES (1987-88)

Considerado a última grande revolução do Rock, o grupo do (assim chamado) último Guitar Hero da década de 1980, o GUNS'N'ROSES estreou muito bem no mercado fonográfico com o disco "Appetite for Destruction". Após abrir para o KISS na parte final da já referida turnê do disco "Crazy Nights", o quinteto só faria aumentar sua reputação e fincaria sua marca indelével no rock'n'roll.

13. ALICE IN CHAINS (1996)

O NIVARNA se dizia fã de KISS. Eddie Vedder do PEARL JAM também. Então, por que mão chamar um grupo grunge para abrir os shows da volta da formação original (e mascarada) do KISS? Já tendo lançado seus clássicos cd's "Dirt" e "Jar of Flies", mais popularidade ganharia o ALICE IN CHAINS com essa associação.

14. RAGE AGANIST THE MACHINE (1997)

Uma banda que fala de política de crítica social, o RAGE AGANIST THE MACHINE poderia ser dar bem com o KISS, a banda focada nas festas, diversões e vendagem de produtos? Pois foi o que aconteceu na segunda parta da tour "Alive/Worldwide", que marcou a volta do quarteto à formação original e mascarada. Quanto ao RAGE AGANIST THE MACHINE sairia desse associação para lançar seu clássica "Battle of Los Angeles", de 1999.

15. RAMMSTEIN (1999)

Eram os show de divulgação do disco "Pyscho Circus", o primeiro disco de estúdio da reunificada e (re)mascarada formação do KISS. O que não se sabia até então é que seria a última turnê dos quatro membro originais juntos. A abertura foi por conta do grupo alemão de Metal Industrial RAMMSTEIN, virtualmente desconhecidos do grande público então, que praticavam sadismo e outras encenações pesadas no palco. Essa tour inclusive passou pelo Brasil nesse mesmo ano.

NOTA DO AUTOR: Willba Dissidente agradece sua namorada Nádia Schenker pela cooperação neste texto.


Fonte: Kiss: 15 bandas que abriram shows deles e se tornaram famosos http://whiplash.net/materias/curiosidades/217813-kiss.html#ixzz3Vu8nSehY


Beijos!

29 de março de 2015

#Novo na coleção! Filme: Amor e Inocência


"Amor e inocência" é uma cinegrafia da autora Jane Austen, já falei desse filme em outros posts, eu tava namorando esse DVD a alguns meses, não sabia da existência ate a Paty me falar e foi uma ótima dica!

Assistam o trailler:



e a trilha sonora é linda:


... é um filme levinho e gostoso, ótimo para um domingão!
Beijos e até o próximo post!

27 de março de 2015

Livro: O Poder da espada - Joe Abercrombie


Sinopse:

O Poder da Espada - Sand dan Glokta é um carrasco implacável a serviço da Inquisição de Sua Majestade. Nas mãos dele, os supostos traidores da Coroa admitem crimes, apontam comparsas e assinam confissões – sejam eles culpados ou não. Por ironia, Glokta é um ex-prisioneiro de guerra que passou dois anos sob tortura.

Mas isso nunca teria acontecido se dependesse de Logen Nove Dedos. Ele jamais deixaria um inimigo viver tanto tempo. Só que isso foi antes. Agora ele está decidido a mudar. Não quer ser lembrado apenas por seus feitos cruéis e pelos muitos inimigos que se alegrarão com sua morte.

Já a felicidade do jovem e mulherengo Jezal dan Luthar seria alcançar fama e glória vencendo o Campeonato de esgrima, para depois ser recompensado com um alto cargo no governo que lhe permitisse jamais ter um dia de trabalho pesado na vida. Mas há uma guerra iminente e ele pode ser convocado a qualquer momento. Luthar sabe que, nos campos do Norte gelado, o embate segue regras muito menos civilizadas que as do esporte.

Enquanto a União mobiliza seus exércitos para combater os inimigos externos, internamente se formam conspirações sanguinárias e um homem se apresenta como o lendário Bayaz, o Primeiro dos Magos, retornando do exílio depois de séculos. Quem quer que ele seja, sua presença tornará as vidas de Glokta, Jezal e Logen muito mais difíceis. Agora a linha que separa o herói do vilão pode ficar tênue demais.

Opinando!

Essa é uma fantasia que mistura RPG e uma boa dose de Guerra dos tronos!

Para quem não acompanha muito o blog, sabe que fantasia é gênero bem complicado para mim, pois não consigo me envolver com os personagens e sérios e sempre fico boiando nos nomes super complicados (e normalmente inventados).

Apesar disso eu havia ganhado esse livro em um sorteio estava aqui, bem do tipo um dia leio, afinal a capa é bom bonita, e com a proposta de uma amiga resolvi que chegou a hora da leitura, bom eu não me arrependi, como um livro de diversão ele é muito legal, do tipo que te prende a leitura.

Mas meu grande ponto negativo é que parece muito a guerra dos tronos pela forma de narrativa e pelo mundo criado, aonde tudo é controlado, apesar dos temas serem completamente diferes (a Guerra dos tronos para quem todos sabem fala sobre a luta de poder, e esse sobre inquisição).

O personagem Glokta é uma coisa... aquele tipo de anti-herói que hoje ficou tão famoso, com seus defeitos suas dores, ele foi torturado e hoje trabalha como torturador e realmente os capítulos narrados por ele são deliciosos, pois ele possui o mesmo humor ácido que encontramos também nas crônicas de gelo e fogo (antes que me perguntem eu abandonei no terceiro livro). E o personagem ao longo da leitura vai amadurecendo se transformando, uma hora ele é bom, outra ele é ruim! E isso foi uma sacada legal do autor, mas nada original.

Outra coisa que quero destacar é que as cenas de batalhas são super bem descritas, do contrário do que acontece com A Guerra dos Tronos, e são empolgantes, de modo que vamos nos apegando cada vez mais os personagens. Mas esse é realmente o ponto mais legal da leitura, porque no geral a narrativa é bastante lenta, e você custa muito a engrenar na história e a descobri o que está para acontecer, outro ponto negativo é como um livro de "aventura" têm um romancesinho tão besta como o de Jezal, sério, completamente desnecessário os capítulos dele.

É um livro bom e super recomendado para quem deseja uma boa leitura de aventura, mas não me deixou com gostim de quero mais...
Minha nota geral foi 3 estrelas!

...e é isso gente... Mil beijos e boa sexta!


26 de março de 2015

#Ouçam; Alice In Chains


Seattle, Estados Unidos (1987 – presente)

Alice in Chains é uma banda dos Estados Unidos formada em 1987 em Seattle, Washington e que, ao lado de Nirvana, Soundgarden, Stone Temple Pilots e Pearl Jam, constitui um dos principais representantes do movimento grunge, nascido no início da década de 1990 na mesma cidade. No entanto, apesar de pertencer ao movimento grunge, o som da banda tem influência de bandas do heavy metal e hard rock, ao invés do punk, o que a torna única no cenário da região na época. 

É uma das bandas mais bem sucedidas comercialmente da cena grunge de Seattle, vendendo aproximadamente 15 milhões de álbuns ao redor do mundo. Após o falecimento do vocalista original Layne Staley em 2002, o grupo fez algumas aparições esporádicas em forma de tributo, e acabou decidindo pelo retorno “oficial” com um novo vocalista, o músico William Duvall, em 2005.


Discografia:

1990 - We die young (EP)
1990 - Facelift
1992 - Sap (EP)
1992 - Dirt
1994 - Jar of Flies (EP)
1995 - Alice in Chains (aka Tripod)
1996 - MTV Unplugged
1999 - Nothing Safe: Best of the Box
1999 - Music Bank
2000 - Live
2001 - Greatest Hits
2006 - The Essential Alice in Chains
2009 - Black Gives Way To Blue
2013 - The Devil Put Dinosaurs Here

Minhas músicas favoritas:








é isso gente!
Espero que tenham gostado e escute!

25 de março de 2015

Livro: Aura - Carlos Fuentes


Sinopse:

Aura - Poucos textos na literatura mexicana têm a beleza e a expressividade desta narrativa, "Aura", em que os processos da ficção são levados às últimas consequências. As imagens do sonho alteram a realidade ou a realidade se vê contaminada pelo sonho. O fato é que Carlos Fuentes, dono de todos os recursos, empregando uma eficaz técnica literária, deu alento a uma atmosfera de sombras e ecos, onde está manifestado o tema da verdadeira identidade, e o amor volta a se unir, acima do tempo, através do mal e da morte. "Aura" é mais do que uma intensa história de fantasmas: é uma lúcida e alucinada exploração do sobrenatural, um encontro dessa vaga fronteira entre a irrealidade e o tangível, esta zona da arte onde o horror gera a beleza.

Edição Brasileira
Opinando!

O que falar desse livrinho com cara de conto! e que eu adorei!!!

Primeiro tenho que falar que eu acabei lendo em espanhol mesmo, afinal eu leio muita coisa em espanhol para a faculdade e então vamos praticar, eu gostei muito da narrativa do autor.

Devo também destacar que eu apenas havia lido textos sobre não ficção do autor, como "Geografia do romance" e "A morte de Artemio cruz" que além de ser uma obra de ficção é também uma biografia sobre a revolução mexicana!

Eu não sei o que devo ou não contar a respeito da história que seria considerado spoiler, então apenas irei falar que como leitora nos deparamos com um texto rico, com metas linguagens, capaz de nos transportar tanto no tempo como no espaço para a época tratada.

É  uma história de fantasmas que lembra as clássicas como "A outra volta do parafuso".

Recomendo esse vídeo:

A Tati como sempre sabendo falar melhor do que eu sobre o livro!

Foi uma leitura rápida e gostosa que garantiu 4 estrelas!

Um pouco do autor:

Pense sobre:



Beijos e até o próximo post!

24 de março de 2015

E o frio chega no sul....

Bora Largatear!
#Agora preciso da bergamota no sol!

Beijos e boa Terça!


22 de março de 2015

#KISSNews



Os fãs brasileiros do KISS tem mais um motivo para comemorar! Além dos shows que a banda fará no Brasil em abril, a bandUP!, empresa de comércio eletrônico especializada em música, entretenimento e cultura pop, acaba de lançar a primeira loja virtual oficial da banda no Brasil.

Inicialmente, o endereço www.kissoficial.com.br oferece camisetas masculinas e femininas, bonecos colecionáveis, canecas e copos, capas para celular, material escolar, etc. Mas a previsão é que nos próximos meses sejam disponibilizados cerca de 400 novos produtos nas categorias moda, casa e decoração, acessórios, CDs e DVDs e papelaria.

Criada em 2010, e com sede em Barra Bonita, a bandUP! é a maior empresa brasileira de comércio eletrônico no segmento de entretenimento. Entre seus clientes estão nomes como Luan Santana, Ivete Sangalo, Fresno, Anitta, DC Comics, Maurício de Sousa, TV Globo, SBT e artistas internacionais, como Beatles, Madonna, Elvis Presley, entre outros.

Mais informações:

#PreparemSeusBolsos

Beijos e ótimo domingão!

21 de março de 2015

#Desejado da vez...


Sinopse:

A Rainha Normanda - “Patricia Bracewell enriquece o gênero da ficção histórica com um livro altamente interessante.” – Publisher’s Weekly

“A rainha normanda é uma trama repleta de rivalidade política, escândalos da corte e disputas entre membros da nobreza, do clero e da realeza. Fãs de sagas históricas e de enredos românticos vão adorar este livro.” – Library Journal

Em 1002, Emma da Normandia, uma nobre de apenas 15 anos, atravessa o Mar Estreito para se casar. O homem destinado a ser seu marido é o poderoso rei da Inglaterra, Æthelred II, muito mais velho que ela e já pai de vários filhos. A primeira vez que ela o vê é à porta da catedral, no dia da cerimônia. 

Assim, de uma hora para outra, Emma se torna parte de uma corte traiçoeira, presa a um marido temperamental e bruto, que não confia nela. Além disso, está cercada de enteados que se ressentem de sua presença e é obrigada a lidar com uma rival muito envolvente que cobiça tanto seu marido quanto sua coroa.

Determinada a vencer seus adversários, Emma forja alianças com pessoas influentes na corte e conquista a afeição do povo inglês. Mas o despertar de seu amor por um homem que não é seu marido e a iminente ameaça de uma invasão viking colocam em perigo sua posição como rainha e sua própria vida.

Baseado em acontecimentos reais registrados na Crônica Anglo-saxã, A rainha normanda conduz o leitor por um período histórico fascinante e esquecido, no qual fantasmas vigiam os salões do poder, a mão de Deus está presente em cada ação e a morte é uma ameaça sempre à espreita. 

Governando na época compreendida entre o rei Artur e a rainha Elisabeth I, a rainha Emma é uma heroína inesquecível cuja luta para encontrar seu lugar no mundo continua fascinante até hoje.

Ficção / História / Literatura Estrangeira / Romance

Quode: 

#Ansiosa
#Desejodavez..


20 de março de 2015

#Quode


~Eu sempre me pergunto como uma senhorinha tão fofinha escrevia aquelas histórias?!


19 de março de 2015

#Divulgando



Notícia maravilhosa da Pedrazul Editora!!!! Especialmente para fãs de Jane Austen!!!! A editora irá publicar "Mr. Darcy's Diary" da autora Amanda Grange!!!!! A narrativa do livro trata-se de uma reeleitura de Orgulho e Preconceito porém na visão de Mr. Darcy. Emoticon heart

Esse livro faz parte de uma série que no Goodreads intitula-se como Jane Austen Heroes, no total de 6 livros, cada um com nossos queridos protagonistas numa reeleitura de seus respectivos livros.

Ainda sem previsão de publicação, e caso tiver uma boa receptividade das leitoras, a editora irá publicar todos os livros da série.

Obs.: Tem também Wickham's Diary, mas não faz parte da série Heroes, porque ele está longe de herói romântico né???

Fonte: Clikeaki

#ansiosa
e vocês?

18 de março de 2015

Livro: O coração das trevas - Joseph Conrad


Sinopse:

O Coração das Trevas - Novela que deu origem ao fillme Apocalypse Now, obra-prima de Francis Ford Coppola, Coração das trevas é uma joia literária. Marlowe, o protagonista, é enviado à selva africana para resgatar o enigmático Kurtz, comprador de marfim cujos métodos civilizatórios põem a nu a selvageria da exploração colonial.


Opinando:

Um livro difícil e triste, que revela o lado mais escuro do coração das pessoas, mas que é capaz de te compensar a leitura se você souber ler nas entrelinhas e compreender tudo aquilo que o livro te envolve.

Em primeiro momento somos apresentados a Marlow, um jovem bom que acaba sendo apresentado a missão de buscar um carregamento de marfim no Coração da selva Africana, aonde presencia diversos mal tratos ao povo africano e ao ambiente completamente devastado a volta.

O mais surpreende do livro na verdade é a forma como autor coloca os personagens, as próprias características da época, a forma que os mal tratos são expostos e a relação obsessiva dos colonizadores com Marfim, tanto que o próprio objeto se torna ao longo da leitura uma personagem, sussurrada e amada por todos os envolvidos.

A leitura têm um começo trancado, mas que começa a te sufocar, pois vamos cada vez sendo sugados pela selva e esta se torna algo vivo, e que te faz o seguinte questionamento "Se somos tão bem influênciados pelo ambiente a nossa volta?"  e como esse ambiente é capaz de nos trazer a esse ambiente, e a nos 'contaminar' com os pensamentos selvagens.

É um livro para ser relido, para ser pesquisado sobre o assunto, pois retrata o interior humano, mas com toda a certeza não é um clássico para ser lido apenas um vez, pelo simples fato, que a ideia que ele transmite não está tão clara.

Eu super recomendo, minha nota foi 5 estrelas, e também sugiro algumas leituras sobre Partilha da Africa, Imperialismo e Colonialismo, e também que assistam o seguinte vídeo!


... e é isso gente...
Beijos enormes e tudo de bom!
espero que goste do post!


17 de março de 2015

15 de março de 2015

#Parceria

 Oie gente, passei aqui rapidão, só pra contar que eu ganhei mais uma amiga e parceria do blog!
Conheçam o blog lindinho...
Rock Roll....
e ainda por cima com tudo um pouquinho! Passem lá!


Elvis Gatão - Um blog misturadão, que fala sobre livros, músicas, e a vida no geral! 

Beijosss e Bom fim de semana!

14 de março de 2015

#Adoro


- Malditos Escoceses, estragam o que existe de melhor na Escócia!


13 de março de 2015

Livro: Frankenstein - Mary Shelley


Sinopse:

Frankenstein - FRANKENSTEIN (MARY SHELLEY) 

Pedi eu, ó meu criador, que do barro me fizesses homem? Pedi para que me arrancasses das trevas?” (Milton - O Paraíso Perdido). Frankenstein, romance escrito no século XIX por Mary Shelley é um trabalho de grande tapeçaria literária, com referências a Milton e a outros grandes clássicos da literatura universal. Victor Frankenstein, um estudante de medicina, revoltado diante da morte de sua mãe, isola-se do mundo e, obstinado, parte para a busca do ideal humano: a imortalidade. A entrega a esta busca o faz criar e dar vida à criatura, protagonista do romance. 

Contudo, tal criatura possui estatura gigantesca e marcas profundas oriundas das várias cirurgias que seu criador o submeteu. Pior que isto, não recebe nenhum nome, perdendo qualquer possibilidade de conseguir enquadrar-se socialmente. Não sendo capaz de entender as vinculações de sua ação, o criador, abandona a criatura, afastando-o de qualquer elo afetivo. Totalmente sozinho, e à margem da sociedade, esconde-se de tudo e de todos e, nesta postura solitária, aprende o mundo através dos livros. 

Determinado, a criatura, adotando o nome de seu criador – Frankenstein – determina-se ao aniquilamento de ambos e começa seu intento pelo assassinato dos entes mais queridos de seu criador: irmão, amigos e noiva. Frankenstein é assim: um livro que fala da alma humana. É impossível lê-lo e não se identificar com todos os personagens que o constroem. Revolta, amor, morte, dor, família, amizade, preconceito, desprezo, solidão e vingança são os ingredientes principais desta obra imortalizada pelo tempo. Com certeza, Frankenstein vai seduzir você. 

“Lembra-te de que fui criado por ti, eu devia ser o teu Adão, porém sou mais o anjo caído, a quem ser o Adão, a quem tiraste a alegria, por crime algum cometido. Por toda a parte vejo reinar a alegria da qual estou irrevogavelmente excluído. Eu era benévolo, bom; a desgraça tronou-me um demônio”. (Mary Shelley – Frankenstein).


Fonte: http://pt.shvoong.com/books/72742-frankenstein/#ixzz1YHLvwpqo

Opinando:

Que livro incrível! 
Não sei se conseguirei passar através de palavras o que senti ao ler esse livro!

foi uma leitura um pouco truncada em seu começo, pois ele se assemelha a todos os filmes baseados na obra, o que torna a leitura um pouco sem atrativos, mas ao passar das páginas inicias somos apresentados a um clima único, com descrições que chegam a se tornar poéticas.

O livro é narrado por Walter, capitão de um navio que resgata um homem preso em uma tempestade de neve, no norte da Europa, que por acaso é Victor Frankenstein, o criador da Criatura (que por sinal jamais ganha um nome ao longo da narrativa).

 Victor é um homem acabado, que vê em Walter a forma de se redimir com o mundo ao contar sua história, descobrimos então através de narrativas o que levou a criação da criatura.

A criatura é um admirável, a autora conseguiu transmitir a ela tanto os defeitos como as qualidades de um ser humano, além de nos levar a crer que tudo o que aconteceu foi passos de circunstâncias e não apenas escolhas feitas ao longo da jornada.

A história de vida e crescimento da criatura é emocionante e triste, o que transforma em uma história pesada, sombria, um verdadeiro romance gótico no qual não temos nenhuma luz de felicidade ou de esperança ao avançarmos na leitura. E realmente a criatura é um ser fascinante que lembra muito todos os seres fantásticos que não são homens mas que desejam ser, nesse caso ele só deseja ter companhia, pois a solidão o destrói ao longo dos anos, e todas as suas tentativas são fadadas ao fracasso. outra característica é a obsessão desenvolvida por ela por seu criador que acaba por se tornar ao longo da narrativa um ser amado e odiado por ela.

Os encontros feitos ao longo do livro entre Vitor e sua criação nos deram a oportunidade para Mary, desenvolver um linguagem poética, capaz de nos fazer pensar sobre alguns assuntos como: o limite da vida, o amor entre as pessoas, sobre honra, o que é realmente um ser humano e sobre a ética de ser um cientista.

Uma das coisas que mais me chamaram a atenção também são os detalhes de cada local, e do tempo decorrido ao longo da historia além de seu ritmo calculado a ponto de formar pequenos climax ao longo da história.

Minha nota foi 5 estrelas e um coração de favorito, será sem dúvida um livro que vou querer reler daqui a alguns anos, pois quero ver se ele continua tão atual como foi nessa leitura.

Recomendo também que assistam o vídeo da Clarie, pois ela soube falar bem melhor sobre a história do que eu, inclusive foi por causa da sua opinião que pulei o livro na fila das leituras!

                                   

Beijos e até o próximo post!

11 de março de 2015

Caderno Novo :)

Oie Gente, tudo bem!? Espero que sim, hoje eu quero mostrar a vocês o meu novo caderno!
:) Eu já havia comprado dois anteriores! Agora escolhi mais um! Vejam as fotos!









.... é isso gente...me contem nos comentários se vocês compraram algum caderno de banda!
Beijos e boa Volta as aulas :)