30 de outubro de 2014

Frase...


"... e enquanto um céu azul
estiver sobre mim...
nada temo!
Pois a oportunidade de mudar,
só depende de mim...!"


29 de outubro de 2014

Livro: Prisioneira de um Rebelde - Blythe Gifford


Sinopse - Prisioneira de um Rebelde - (Harlequin Históricos 137) - O Clã Brunson - Blythe Gifford

Atormentado pela inocência. Como líder do clã, Rob, conhecido como o Brunson Negro, faz jus a cada letra de seu apelido. Mas quando toma como refém a filha de seu inimigo, a culpa, mesclada à necessidade de protegê-la, dilacera sua consciência... Rob luta contra uma tentação proibida! No princípio, Stella Storwick se sentia desprezada por Rob. Lentamente, começa a perceber em seu olhar a perfeita expressão de um sentimento impossível de ser descrito com palavras... E apenas um beijo poderá aplacar seu desejo!

Opinando...

O que falar do ultimo livro da série?

Essa foi exatamente a pergunta que me fiz ao pensar sobre o que poderia escrever esse post. Sabe quando um livro têm um bom começo, uma boa história mas os personagens acabam te incomodando terrivelmente. primeiro o mocinho, com a sua indecisão, com a sua solidão, com a falta de tato, e com os pensamentos de que o pai esperava demais dele, mergulhando em algumas divagações realmente bastante complicadas de serem lidas. A mocinha em contra partida é uma chata que acredita que foi salva por Deus, e que é especial, por isso teve uma vida regada de luxos e falta de obrigações (que realmente não condizem com a época).

Esses inclusive foram os pontos que mais me incomodaram na história, pois o plano de fundo aonde a autora narra as disputas de poder da fronteira continua maravilha e com uma tensão gigantesca com a vonda do rei para fronteira, que nos leva desde o primeiro capitulo a ficar ansiosa aguardando a chegada dele.

Essa tensão inclusive é arrastada até a conclusão da história, pois não temos a certeza se teremos um final feliz. A ideia dos personagens foi ótimas, mas a formula realmente não funcionou nesse volume da série, e o mais triste é que esse é o livro final.

Minha nota acabou sendo umas 3 estrelinhas básicas, e adorei a participação dos demais personagens da série nesse volume.

Beijocas e até o próximo post 

25 de outubro de 2014

Livro: A viajante do tempo - Diana Gabaldon


Sinopse - A Viajante do Tempo - Outlander - Livro 01 - Diana Gabaldon

Claire, a protagonista de A viajante do tempo é uma mulher de personalidade forte, lutando para se manter num mundo de homens violentos, que busca seu verdadeiro amor enquanto participa de importantes acontecimentos da história. Claire Beauchamp Randall foi separada de seu marido Frank pouco depois da lua-de-mel, quando ele foi convocado para lutar na Segunda Guerra Mundial. Ao final do conflito, Claire e Frank se reencontram e retomam a vida que tinham em comum numa viagem a Escócia. Mas o reencontro não ocorre da forma esperada. Parece haver entre a esposa e o marido um distanciamento muito maior do que aquele causado pelos anos de guerra. Ao visitar uma antiga e mística formação de rochas, Claire finalmente vai conhecer seu destino.


Opinando...

Esse sem duvida vai ser um dos post mais complicado de fazer durante esse ano, bom porque tanta complicação, por vários motivos, principal deles, é que é um livro com dois extremos de um mundo todo criado.

A narrativa é toda é feita pela mocinha Claire, o que tonar a história com um começo bastante cansativo (pra ser sincera com todos vocês eu cheguei a ponto de abandonar a leitura e continuei por pura teimosia). ela começa contando do casamento dela com Frank, dos anos de guerra, da sua criação pelo tio Lamb e diversas outras coisas, mas o que mais em irritou no inicio da história foi a tradução errada de nomes de ruas e lugares, e da falta de notas de rodapé explicando termos em galego e gaélico, que são citados como tradições de Inverness por Frank (que diga-se de passagem é o historiador mais estranho que já eu já tive o prazer de ler sobre, o cara simplesmente é uma máquina de conhecimento! Como assim?). Tanto que essa "enrolação" se alonga por mais de 200 páginas, quando finalmente ela consegue viajar no tempo, e ir pra ação mesmo, ela têm uma sessão divagação que também poderia ser cortado (eu avisei a todos foi um começo de leitura bastante complicado).

O livro começou a me prender direito e a me fazer investir na história depois que a mocinha é salva por Murtagh (ahhh aquele lindin) e levada para junto dos homens de Dougal. Dai somos apresentados a personagens bem trabalhados, com características únicas, com um mundo de possibilidades, o que foi um choque para a mocinha e fez ela para de ser tão chata (mas sim ela continua chata). 

A viajem pela escócia aonde temos a descrição dos lugares, passados e dos castelos é o mais legal nessa parte da história, além das tentativas de fuga infrutíferas da mocinha, todas acabam de uma forma muito desastrosa. E antes de me perguntarem, isso não é spoiler pois segundo os pensamentos dela ela tenta escapar dele a torto e direito desde o inicio do livro e que voltar ao Frank.


Mas a gente sabe também que ela não consegue sucesso em nenhuma de suas tentativas e com isso acaba indo parar no castelo, e desenvolvendo uma relação com um começo bem do esquisito com Jaime , e ahhh ele têm um belo de um mistério por trás.... que inclusive é ai que a autora te prende e começa a fazer você ler o livro compulsivamente. Inclusive esse mistériosinho apesar de ser resolvido lá pela metade da história ainda têm consequências que levaram a outros acontecimentos.

O Jaime é um fofo, sem dúvida nenhuma, mas não é do tipo de mocinho que me faz suspirar e muito menos meu personagem favorito, é apenas um bom mocinho e que têm uma paciência de Jacó, diga-se de passagem, porque se fosse comigo em alguns momentos alguém já teria tido alguns probleminhas... 

Resumindo, é uma boa história, é mais muito enrolada, é um livro grande de quase 800 páginas,(nessa edição da Rocco) que poderia ter sido desenvolvido em 400 a 500 tranquilamente. quando peguei ele emprestado, a dona me avisou que a diana é conhecida pelo seu detalhismo, mas na minha singela opinião ela é enrolona mesmo, pois não têm necessidade de descrever tintin por tintin duas, três vezes o rosto dos personagens, o salão, partes do castelo, emplastos e usso da medição. Além das divagações da Claire, que não acrescentam em nada na história e que em alguns momentos inclusive te irritam.

Não sei se consegui transmitir tudo nesse pequeno texto mas tenho medo de continuar falando e começar a soltar um spoiler depois do outro.

Dica...

Têm a série de tv baseada nos livros, que têm uma das trilhas sonoras mais lindas que já ouvi, e que traz toda a essência do livro sem grandes modificações, e que vale a pena assistir.
Confiram a música tema...


E para quem quiser escutar inteira eu recomendo essa versão...


Minha nota tanto pra série como pro livro foram 4 estrelas, e vou começar assim que der ler o segundo volume da série, dai trago minha opinião para vocês, beijos enormes e bom sabadão!


24 de outubro de 2014

22 de outubro de 2014

#Bandas: Cinderella



O Cinderella surgiu de outra banda de hard rock pouco conhecida, Deep Freeze, banda de Priscilla Harriet. Tom Keifer e Eric Brittingham abandonaram a banda da exótica vocalista para dar início na que seria uma das mais bem sucedidas bandas da década de 80. Com o conhecimento adquirido ao longo do tempo, a banda começou abrindo shows de bandas como AC/DC e Mötley Crüe. 

O primeiro disco batizado de “Night Songs” mostrou que a banda não estava para brincadeiras. A capa possui uma foto dos integrantes no mais puro visual Hard/Glam Rock. O som vai nessa linha e com pitadas de Country Music. O Cinderella despontava no cenário, além de Eric e Tom, a banda contava com Fred Coury na bateria e Jeff Labar na guitarra. Do primeiro álbum, as canções destaques são “Push, Push” e “Shake Me”… todas no melhor estilo poser.



O segundo álbum teve o nome de “Long Cold Winter” e mostrou a banda com um visual mais comportado, deixando um pouco de lado as cores e a purpurina… a capa do disco não teve foto. Ela é apenas branca com o logotipo. 


O amadurecimento refletiu na música também. “Gypsy Road” e “Comin’Home” mostravam que as pitadas de Country estavam aumentando cada vez mais… “Don’t know what you got…till it’s gone” levou a banda à disputa nas rádios. O Cinderella se tornava cada vez mais popular,abrindo shows ao lado de bandas como o Skid Row para o Bon Jovi e chegando inclusive a emprestar seu baterista ao Guns N’ Roses.


21 de outubro de 2014

Poesia: Só porque deu vontade!


Só escrevo porque deu vontade, só penso por pura amistosidade..
Só penso por causa da saudade
Só vejo Aquilo que desejo.
Só sinto aquilo que me faz bem...

Só escrevo porque me deu vontade! 
Só cheiro porque me deu oportunidade.
Só sigo por pura vaidade, 
Só escrevo por pura curiosidade!

Só continuo teimosia,
Só construo por habilidade...
Só para por ociosidade, 
Só caminho por Relatividade!


20 de outubro de 2014

#Playlist da semana

Voltando as raízes...
sabe quando dá vontade de escutar coisas que você não escuta milênios...
Pois é... Bora lá...




Boa semana para todos :3

19 de outubro de 2014

#Marcadores novos na coleção...


Ganhar marcadores surpresa não têm preço!
Obrigada Feh por lembrar de mim e me mandar! :3


17 de outubro de 2014

Livro: O Limite da paixão - Blythe Gifford



Sinopse - O limite da paixão - (Harlequin Históricos 133) - O Clã Brunson - Blythe Gifford

Bessie, a abnegada irmã do obstinado clã Brunson, se sacrificou pela honra de sua família e está a mercê da corte do rei James. Deslocada naquele ambiente, ela ainda tem que lidar com sua desconfiança em relação a lorde Thomas Carwell. Sob o olhar implacável de seu carrasco, Bessie se deixa envolver por ele e pela opulência de um mundo muito diferente do dela. Quando o rei, furioso, exige a cabeça de seu irmão...

Opinando..

Esse é o segundo livro do clã Bunson. E eu gostei bem mais do que o primeiro.

A primeira coisa que acho legal a destacar é a própria mocinha do livro, firme, determinada e guerreira, não se acovardou em relação a uma ida a corte para salvar a pele do seu irmão mais novo (que foi o mocinho do primeiro livro).

A história gira em torno dessa pequena viajem e de como Bessie tem que aprender a lidar com as mentiras e estrategias da corte. Acostumada a uma realidade aonde as pessoas são mais simples e mais diretas ao ponto aonde querem chegar ela se sente "um peixe fora da água" na maioria das situações.

O Guardião da fronteira, Thomas é o homem que a leva para esse cenário, mas que ela não possui nenhuma confiança (principalmente devido ao que aconteceu durante o primeiro livro da série).

As duas histórias inclusive são bastantemente intercaladas o que torna difícil trazer minha opinião até vocês. Mas eu posso destacar duas coisas bem legais que a autora conseguiu nesse livro que foram: A descrição do tornei, que desde as regras mais simples, os favores oferecidos e os combates travados durante o espetaculo, até o que foi servido, os lugares aonde os espectadores normalmente ficavam, conseguiu durante a narrativa me teletransportar para o lugar e a época. Em segundo momento outra coisa que me chamou a atenção tanto pelo detalhamento e a descrição foram as cenas de dança aonde os casais ficaram nitidamente vivos em minha imaginação.

Linda história minha avaliação foram 5 estrelas e mais um favorito para a lista.
Em Breve farei a leitura do ultimo da "Prisioneira de um rebelde" e trarei a minha opinião para vocês.
Para quem resolva embarcar na série sugiro a leitura cronologica dos livros, pois a história é continua e possui um pano de fundo histórico bastante definido.

Beijos e feliz sexta feira a todos vocês
Até o próximo post.

16 de outubro de 2014

Presente fofo!

 Oie gente tudo bene com vocês? nesse dia de imensas chuvas aqui no sul!
hoje eu trouxe para mostrar a vocês um presente extra fofo que ganhei de uma amiga mega talentosa a Jana
eu quero muito agradecer os eu carinho ao se lembrar de mim ao trabalhar com papel para me fazer fazer um caderno imitando capa de couro!
Nem vou dizer que amei o presente e que estou em mega dúvida do que irei escrever nele!
:D Olhem as fotos!



....e se quiserem conhecer o trabalho dela só procurar pelo seu blog e página no facebook!
beijokas enormes e boa quinta

14 de outubro de 2014

Livro: Lady Susan - Jane Austen




Sinopse - Lady Susan - Jane Austen

LADY SUSAN, o romance epistolar de Jane Austen, nunca recebeu muita atenção dos leitores em comparação com os seus outros seis romances maiores, principalmente por ser uma obra curta. 

Os estudiosos de sua obra estimam que tenha sido escrito entre os anos de 1793 e 1794, quando a jovem escritora encontrava-se em seus últimos anos de adolescência. Representa um hiato na totalidade da obra de Jane Austen por se caracterizar como um estudo sobre uma mulher adulta, que usa sua inteligência e charme para manipular, trair e abusar de suas vítimas, sejam elas, amantes, amigos ou mesmo membros de sua família. 

Escandalosamente divertido e artisticamente melodramático, LADY SUSAN é um romance quase esquecido dentro do conjunto da obra de Jane Austen, menosprezado pela comparação com os seis romances maiores publicados pela escritora. 

Uma vez que poucos romances podem superar ou se equivaler às obras-primas de Jane Austen, LADY SUSAN deve ser aceito pelo o que realmente é: uma peça encantadora e muito divertida, elaborada por uma jovem escritora que não apenas nos apresenta personagens interessantes e provocantes, mas que também nos revela sua compreensão inicial das maquinações sociais através de uma linguagem muito requintada. 

Seu maior desafio parece residir nas limitações do formato epistolar onde a narrativa é revelada gradativamente através da perspectiva de uma pessoa e, em seguida, através da reação e resposta do outro, o que não permiti a energia do diálogo direto ou a variação de descrições de cena ou arredores. Dadas suas limitações narrativas ainda é uma joia brilhante; inteligente, engraçado e intrigantemente mal intencionado. 

Um romance magnificamente trabalhado, apresentando os costumes e os modos do período da Regência inglesa que irá deliciar os entusiastas de Jane Austen com sua sagacidade e elegante expressividade.

Opinando...

Primeiro de tudo, eu acho que devo dar os meus parabéns para a editora Landmark por essa edição de Lady Susan super bem trabalhada e de alta qualidade. Além de ser bilíngue.

Essa foi a minha primeira leitura da obra e eu devo dizer que assim que acabei tive a sensação de querer rele-la, e isso não me acontece desde livros como "Amor de redenção" "O rei do inverno" entre outros.

Nessa obra escrita através de cartas, a onde Jane teve uma clara influencia do livro "Os sofrimentos do jovem Werther" em termos de estilo e de como as cartas são apresentadas ao leitor, com uma pequena descrição dos personagens envolvidos, depois temos uma apresentação do lugar, dos demais personagens sobre o ponto de vista de quem esta escrevendo a carta.

Esse inclusive é uma das vantagens ao escrever um romance dessa forma, pois permite ao autor dar vozes diferentes aos seus personagens, desde modos mais formais como mais informais dependendo para quem a carta será enviada, além é claro de assim ir pincelando até mesmo no caráter dos personagens através das informações contidas nessas cartas.

A nossa heroína e tema principal das cartas é Lady Susan, uma das personagens mais emblemáticas pra mim de Jane Austen, pois devo confessar a vocês que ainda não consegui me decidir se gosto dela ou não?! Seu caráter é muito duvidoso, e através das cartas temos claramente a ideia de que seu caráter é bastante lascivo e manipulador, ao ponto de descobrirmos seus verdadeiros sentimentos em relação as pessoas envolvidas quando Lady Susan escreve para a sua amiga Alice.

Os grandes momentos e cenas do livro no geral são os confrontos de mãe e filha, que ao longo das cartas percebemos os sentimentos que ligam as duas não são os mais nobres.

Outra característica que podemos destacar é o senso de humor afiado que temos em muitas das cartas aonde o sacarmos é colocado em pequenas doses que apenas o leitor mais atento poderia pegar.

Degusten...



Eu espero que através desse texto tenha conseguido transmitir tudo o que senti ao ler Lady Susan, e também devo admitir que estou me coçando para iniciar uma releitura!

Minha nota só pra variar um pouquinho se tratando de Jane Austen, foram 5 estrelas e mais um coração fofo, e tentarei me fazer uma proposta de tentar ler esse texto em inglês no original! Estou pensando se conseguiria pois nos poucos trechos percebi que é uma leitura mais arcaica e bem mais trabalhada! Mas vamos ver!
Beijos a todos e até o próximo post!

13 de outubro de 2014

#Playlist da semana






...semana de provas é isso.... apenas eu, milhares de xerox e Loreena :3


12 de outubro de 2014

Ganhei de dia da criança...


 Ganhar livro de dia das crianças e ainda com dedicatória super bem humorada não tem preço!


10 de outubro de 2014

Marcadores novos na coleção!

 

Marcadores que recebi de presente da fofa Simone, ela foi na bienal e me mandou esses mimos... Tenho que agradecer a ela e me desculpar horrores por apenas agora postar!
Beijos enormes, e como vão indo a coleção de todos!



9 de outubro de 2014

Livro: Os Elefantes Não Esquecem - Agatha Christie


Sinopse - Os Elefantes Não Esquecem - Agatha Christie



Hercule Poirot parou no alto do penhasco. Neste cenário, uma mulher sofrera um trágico acidente, anos atrás. Algum tempo depois, mais uma tragédia: dois outros corpos foram descobertos - marido e mulher - mortos a tiros. Mas quem matou quem? Teria sido um pacto suicida? Um crime passional? Ou um assassinato a sangue-frio? Poirot embrenha-se no passado e descobre que "antigos pecados deixam marcas profundas".


Opinando...

Esse é um daqueles opinando que eu nunca sei por onde começo a escrever, ou melhor, por onde começo a conversar com vocês!

Essa foi a minha segunda leitura do livro que já havia sido lido em meados de 2011, dai fui procurar nas minhas agendas aonde guardo as impressões de leituras de cada livro, e descubro que na época eu achei este parecido com o enredo de "A noite das Bruxas" pois a protagonista usa também das suposições para desvendar o mistério tendo assim a busca de um culpado ou de um motivo como cartas lançadas de um baralho.

Nesse romance é apresentado um crime misterioso que aconteceu a pelo menos 12 anos atrás e que foi trazido de volta a assunto com uma pergunta feita a Olivia em uma festa "mas quem foi que matou quem?" foi o questionamento.

A partir desse dia a autora de romances criada segundo especialistas a imagem da própria Agatha e procura desvendar esse mistério caçando elefantes, por causa de uma piada que sua assistente fala, indagando que os elefantes possuem boa memória por tanto não esquecem. Assim surge também o título do livro!

Nessa investigação ela retoma algo que é hábito de todos os ingleses, os famosos caderninhos de notas... e nossa dai a história realmente dialogou comigo, pois eu também tomo notas em caderninhos e bloquinhos, a cerca de palavras que não entendi e também de datas, nomes, endereços, telefones, etc...

Hercule já está mais idoso nesse romance, sendo um personagem mais secundário que aparece em momentos estratégicos para "juntar os pedaços das divagações de Olivia!" meio estranho até se falar desse modo dentro de um texto que possui como objetivo falar sobre o livro, mas não quero dar spoiler, afinal uma opinião é um texto para tentar o leitor a ler essa obra rica e de qualidade. E espero que tenha instigado você a ler!

Minha nota geral foi 4 estrelas, que é considerado um livro muito bom, e que só possui um pequeno problema, a forma com que ele foi divido em tomos pode dificultar um pouco a leitura deste, pois ele faz paradas no momento ápice de uso da massa cinzenta!

Espero que tenham gostado do post, e agradeço a leitura, Beijos 



8 de outubro de 2014

Texto para refletir: O Amor existe!?

Oie gente tudo bene com vocês nessa terça feira de sol!
Eu espero que sim... conheci esse texto fofoso no blog : Amor Abusado e resolvi compartilhar com vocês... Eu espero que goste!



Eu passei os últimos anos me perguntando o porquê mesmo de eu ainda acreditar no amor.
Me perguntava: -Garota, por que você não acorda de uma vez por todas e aceita, que os tempos mudaram, que ninguém quer se entregar, se envolver, porque é tão mais fácil encontrar alguém pra te dar meia hora de atenção e depois ir embora e te deixar com a falsa imagem de que a liberdade é algo maravilhoso?

Mas na verdade, o que vejo, são pessoas tristes e vazias, presas ao passado, amedrontadas, covardes, ariscas e frias.

Eu sei que existe um cara hoje, tendo seu coração partido porque a ex o deixou por outro alguém, e que ele vai passar um tempo dormindo com varias mulheres diferentes e vai partir o coração de algumas também.

Tenho certeza que existe uma garota hoje acordando de ressaca numa cama que não é a dela, pegando suas coisas às pressas, saindo nas pontas dos pés, indo pra casa se sentindo vazia.
Tenho também a certeza de que algum casal se apaixonou a primeira vista hoje. Sem querer, ao acaso, ele encontrou a mulher da vida dele, ela, o homem da dela.

Muitas vezes, nos esquecemos de que cada um de nós tem uma ou várias histórias que de certa forma, deixaram marcas que ditaram os nossos atos por um tempo e que muitas vezes, não tínhamos a intenção de machucar ninguém mais do que já estávamos machucados.

Talvez, nos fechar no nosso próprio mundo, era só nossa forma de dizer: Por favor, não quero mais sofrer.

Talvez a garota que saiu na surdina, no meio da noite, que tomou um porre, só queria mesmo se sentir amada.

Talvez o cara que dormiu com 10 mulheres em um curto período de tempo, e enganou a maioria delas, só estivesse sentindo saudades de alguém, que no fundo, sabia que não iria voltar.
Eu ainda acredito no amor, e acredito em pessoas machucadas, cada qual a sua maneira, tentando sobreviver.

Acredito que a garota que foi traída e o cara que perdeu o amor da sua vida, vão se encontrar um dia.

Acredito em amores ao acaso, amores na chuva, amores a distância, amor de amigo, amor a primeira vista, a segunda, a terceira…

Acredito em encontros, reencontros e mais ainda… Acredito em recomeços.

As lágrimas de tristeza de hoje, meus caros, podem ser as de emoção amanhã, ao se olharem no espelho e terem a certeza de que o amor começa ali, em você mesmo.

E sim, você é digno de amar, mas mais ainda, de ser amado. E o seu coração machucado, pode ter certeza, alguém, lá fora, terá um prazer enorme em curá-lo.

O amor existe, e quer saber? É a melhor sensação do mundo.



7 de outubro de 2014

Livro: Submissa ao Guerreiro - Terri Brisbin


Sinopse - Submissa ao Guerreiro - (Harlequin Historicos 147) - Terri Brisbin

Aidan MacLerie é bravo, destemido e leal ao clã, mas seu coração continua insatisfeito. Até conhecer a deslumbrante Catriona MacKenzie. Por ser uma mulher casada, Aidan jamais teria permissão para possuí-la. Mesmo assim, busca sua total rendição a cada beijo.

Quando o marido de Cat é derrubado no campo de batalha,ela fica sem recursos e com a reputação em farrapos. Aidan é o único homem com poder para protegê-la. Cat precisa apenas se submeter ao seu coração de guerreiro… 

Opinando...

Primeiro de tudo eu gostaria de dizer que não sei como começar essa "pseudo -resenha" de um livro de banca. Primeiro por ele ser um livro da Terri Brisbin (minha autora preferida do Gênero conhecido como romances de mulherzinha), e em segundo momento pois esse foi o livro que encerra a saga MacLerie que eu tenho o maior carinho e admiração, por vários motivos, mas talvez o principal deles seja que com essa saga eu conheci os romances de banca, antes eu tinha um pouco de preconceito, devido a qualidade do papel, ou das capas horrorosas, mas ao ler "Possuída por desejo" isso mudou. Hoje eu sou uma assídua consumidora desse tipo de literatura por causa desse romance e desse clã.

A história apresentada nesse caso é a de Aidam (Filho do selvagem das Terras Altas) e Cat (uma mulher comum, mais velha e casada). A história gira em torno de encontros e de uma atração que os dois sentem quase instantânea mas que eles tentam esquecer devido as diferenças entre os dois.

A mocinha dessa história é uma mulher do povo, ignorante, que já foi casada antes com um homem que a maltratou tanto que ela ficou estéril segundo a curandeira que a atendeu na época, além de Cat demostrar que a sua unica missão seria cuidar de um marido que não lhe despertava nenhuma especie de sentimento a não ser gratidão por ter salvo a sua vida (só contarei até aqui para não ser spoiler).

Já o mocinho está recebendo a atenção de seu pai e dos seus leais amigos para concluir o seu "treinamento" para ser o próximo Laird e que também estão a procura de uma noiva, mas tudo cai por terra assim que ele conhece Cat. Aidam é teimoso como a sua mãe, e tem determinadas características dominadoras que são presentes em passagens dos outros livros da serie desde quando ele era pequeno (como o fato de ele colocar as mãos na cintura e dizer NÃO). Eu adorei que a autora conseguiu reunir essas caracteristicas nele já adulto e com o mesmo toque de dominador que possuía assim quando era pequeno.

Nesse livro eu também fiquei com a sensação de será que eles vão ficar juntos no final? Pois até os dois últimos capítulos não estava acreditando nisso. Além de ter um suspense em torno da morte de Gowan (e sim isso não é spoiler pois esta na sinopse do livro).

Foi uma leitura rápida, gostosa, e que devorei em apenas um dia, sentirei muitas saudades de Duncan, Connor e Rurik e de todos do clã, espero ansiosamente mais livros publicados no Brasil da autora!

Claro que só poderia acabar dizendo que dei 5 estrelas e meu coração eterno.

E vocês já leram? Pretendem ler? Que tal deixar seu comentário aqui em baixo e fazer a autora do blog feliz? =)
Beijocas enormes e até a próxima postagem