31 de dezembro de 2013

Livros...

Oie gente tudo bem, ultimo dia do ano, que tal ler um bom livrinho pra encerrar o ano e para ter uma boa lembrança...
Minha dica é ler


Sinopse - Um Conto de Natal - Charles Dickens

"Um Conto de Natal" do britânico Charles Dickens (1812-1870) é uma das histórias mais famosas da literatura ocidental. O enredo nos traz a figura de Ebenezer Scrooge, um avarento homem de negócios londrino, rabugento e solitário, que não demonstra um pingo de bons sentimentos e compaixão para com os outros. Scrooge não deixa que ninguém se aproxime e rompa a sua dura carapaça, preocupando-se apenas com os negócios, o dinheiro e os lucros. No anoitecer frio da véspera natalina, ele é visitado pelo fantasma de Jacob Marley (seu antigo sócio comercial, morto há sete anos) que o repreende e anuncia que Scrooge se prepare, pois será visitado por três espectros do seu próprio passado, presente e futuro... A história da redenção do velho Scrooge vêm comovendo adultos e crianças de todas as épocas. 
A história foi escrita entre outubro e novembro de 1843, para ser publicada em capítulos de jornal, com ilustrações de John Leech, em dezembro do mesmo ano. O enredo é familiar a todos: foi filmado várias vezes e televisionado; adaptado para o teatro e para crianças. Transformado em desenho animado e HQs. A figura e o personagem de Scrooge teve vários descendentes literários, um dos mais célebres é o Tio Patinhas de Walt Disney: "Uncle Scrooge McDuck" em inglês.

Minha pequena opinião...

Simplesmente leiam, é maravilhoso!
fico sem palavras com a escrita e a lição que o livro transmite do verdadeiro espirito de natal!
Eu adorei e espero que as pessoas que leiam saibam dar valor a esse clássico!
*--*

Só digo que foi 5 estrelas mais um coraçãozinho, e como é difícil escrever mesmo que uma nota a livros que realmente te tocam!

Eu avisei que a opinião era pequenina...
Simplesmente leiam!

30 de dezembro de 2013

#Playlist da semana...

Oie gente!
Quanto tempo que eu não fazia um playlist para vocês não! ^^
Espero que gostem da seleção!









Boa semana a todos meus amores!



28 de dezembro de 2013

26 de dezembro de 2013

~> Desejados da vez..




E você, desejando algum livrinho!?
Que tal deixar nos comentários! :)


24 de dezembro de 2013

:D

Passei 
rápido nesse
 dia tão especial para
 desejar um ótimo natal a 
todos aqueles que acompanham esse pequeno mundo 
de 
imaginação!



20 de dezembro de 2013

:D

Recesso de natal e ano novo...
e você seu lindoooo!!!


19 de dezembro de 2013

- Surpresa...

Coisa mais boa chegar em casa, depois de um dia daqueles...
e receber na sua caixinha de correio estes marcadores lindosss.... *--*

Brigada editora Casa dos espíritos por me atender :)


17 de dezembro de 2013

~ Presentinhos do Mês :)

Oie gente...
Dezembro é o mês de comemorar o natal, a alegria e a amizade!
E como todo mês de natal, é mês de ganhar presentinhos, nada como ganhar coisinhas fofas e se sentir a pessoa mais amada do mundo não!
Olhem as fotos :)
Ganhei da fer... brigada amoree... mtos marcadores pra coleção!

Cartão arvore tinha que posar com meu cão de caça ! 

Marcadores autografados da Linda Janaina Rico

Presente mais amado do mundo da Janaina Beserra ... sério gente ameii tudinho!

e tinha que bater uma fotinhu especial da foto da caixinha lindaaa.... *--*

Presentinhus de niver e ntala da Pamela e Talita , Amores meus do skoob!

A quantidade de marcadores é um colírio para os olhinhusss

Cartinha muitooo fofa da Diu... amooo amizades via cartas :)

Alguns mimos da Fer..... nem preciso dizer que todos foram preciosos!
E isso é tudo pessoal tentarei voltar com postagens mais completas depois de quinta feira, que será minha prova de teorias II, me desejem muita sorte... :)
Beijokas a todos, e tudo de bom!

16 de dezembro de 2013

#Playlist...

Novamente, voltando a postar.....
o/









Espero que vocês curtam e aumentem o som: =)
Beijoss e boa semana pra vocês.... e (provas) para mim :S

15 de dezembro de 2013

...


E que a maré leve mais um ano...
e traga um novo mais cheio de alegrias e amor!


14 de dezembro de 2013

Entrevista: Rory MacCann

Oie gente linda,sei que disse que não postaria nada durante estes dias, mas estava de bobeira, lendo coisas sobre um dos meus atores favoritos :) e me deparei com essa entrevista muitooo fofa, descubro alguns gostos em comum,e fico muito contente com isso!

            

Rory McCann, o ator escocês que dá vida a Sandor Clegane - The Hound - na série, deu uma entrevista ao Access Hollywood, que continua a fazer um excelente trabalho com estas interessantes entrevistas. É bom perceber que o ator compreende bem esta que é uma das minhas personagens preferidas da história.

AccessHollywood.com: O Joffrey é Rei quando começa a segunda temporada. Como é que isso muda as coisas para o Hound?
Rory McCann: Bem, não acho que o Hound goste do Joffrey, mas está a fazer o seu trabalho ao olhar por ele. O poder, como deves imaginar, vai subir à cabeça de Joffrey e o agressor que há nele vai aparecer e despoletar uma série de memórias para o Hound - a forma como ele foi intimidado. E verão a relação entre Sansa e Joffrey deteriorar-se - ao ver as agressões que não param, o Hound fará a ligação com o que se passou na sua infância.

Access: Tentaste ler os livros ou contaste com as pessoas simpáticas nas gravações que fizeram pesquisa para aprenderes mais sobre a história da tua personagem?
Rory: Tentei ler o livro, li o livro e depois li o seguinte, e agora já li três. Estou à frente na história... Quanto à pesquisa nas gravações? É fantástica... Muitas vezes, tanto o David como o Dan estão lá e confirmam o que a minha personagem estava a pensar e porque faz determinada coisa e isso foi fantástico. Não há suposições. A informação esteve sempre lá. Até entrei em alguns fóruns de fãs. Eles conhecem as personagens tão bem e eu tirei algumas dicas e indicações deles.

Access: Isso é incrível. Muito bem, então o Hound tem uma relação interessante com a Sansa. Como é que isso vai funcionar à medida que ele vê o Joffrey ganhar mais poder?
Rory: Ele vai entrar em conflito, penso. Acho que ele quer cuidar da Sansa e percebe completamente a posição dela, mas também está numa posição em que se se chegar à frente, está a arriscar a sua vida... Acho que na primeira temporada, entre o Sandor e a Sansa, existe uma frustração com o Sandor a tentar fazer com que Sansa entenda que nem tudo é um conto de fadas e cavaleiros verdadeiros e que há tanta maldade no mundo. Mas, no final da primeira temporada, ela viu, obviamente... o seu pai a ser decapitado. Portanto, talvez agora tenha visto a luz, mas acho que continua a existir a frustração de tentar fazer com que ela veja a realidade de toda a situação. Basicamente, é dar conselhos a Sansa para que ela sobreviva.

Access: Quanto tempo demora a colocar a peruca e a fazer a maquilhagem? Horas?
Rory: Sempre. De todas as vezes que me dão as folhas com as horas a que começa o trabalho, é uma piada recorrente, regresso sempre ao escritório e digo 'Deve haver algum engano' (risos). Estou lá pelo menos duas horas antes de toda a gente. Quando comecei, demorava três horas e meia, mas já reduzimos para metade. Agora é só uma peça em vez de peças separadas.

Access: É tão intrincado.
Rory: E o calor é irreal porque tenho a prótese a toda a volta da minha sobrancelha e de todo o lado do meu rosto, e depois de algumas horas, mesmo que esteja inativo, tudo aquilo começa a gerar suor... até começar a verter - normalmente a partir da minha sobrancelha. Geralmente, temos de a descolar e voltar a pô-la no sítio. É muito desconfortável.

Access: E dá comichão, também?
Rory: Muita comichão! Mas, sabes, irrita-me e uso-a simplesmente. De cada vez que vejo algum dos outros atores a reclamar de alguma coisa, grito e digo "Usa-a!"

Access: Estiveste envolvido numa das cenas de luta mais memoráveis da última temporada - o Sandor contra o seu irmão Gregor, depois de um torneio. Vais utilizar mais a espada na segunda temporada?
Rory: Sim. Duas vezes mais. Vou entrar noutro torneio com um capacete dourado. É muito difícil ver quem estás a tentar matar com o capacete do cão, garanto-te.

Access: Pregas muitas partidas, não é?
Rory: Uh, (pausa) sim. É um dos meus prazeres na vida. Tenho de admitir. Partidas simpáticas e reais, devo dizer.

Access: Soube que pregaste uma partida ao Oliver Stone [o realizar de "Alexander", de 2004]...
Rory: O que é que se diz que fiz ao Oliver Stone?

Access: Algo relacionado com uma cobra.
Rory: Oh, uma cobra debaixo do chapéu, sim... Era uma cobra falsa. Já fiz muitos filmes de aventuras nos quais todos os atores me rodeiam e desembainham as espadas, estão por todo o lado. Tem graça à primeira vez... 

Access: Há alguém a quem tenhas pregado partidas nas gravações de Game of Thrones? Os miúdos e os atores mais jovens não têm problemas com esse tipo de coisas?
Rory: Não... dou-me bem com todos os miúdos. Se andei a pregar partidas? Não, nem por isso... Por causa do meu aspeto - e eu sei qual é o meu aspeto - por vezes surpreendo as pessoas. Por isso, quando apareço a um canto e eles não se apercebem... Assusto-os, com o meu tamanho e isso tudo. Mas apareço atrás das pessoas e ladro como um cão, e belisco-os na parte de trás da perna para os ver saltar.

Access: Que gozão. Fazes isso ao Dan e ao David, porque imagino que isso lhes poderia ser útil de vez em quando?
Rory: Sim, eu sei. Eles trabalham muito. Durante as gravações noturnas, temos de tentar manter-nos animados. As gravações noturnas nesta temporada - o tempo foi implacável e, portanto, era preciso o que quer que fosse para animar toda a gente. Mas normalmente só se contam histórias... Também tenho uma guitarra nas gravações. Toco cantilenas e assim. Normalmente, há sempre mais alguém com uma guitarra. Costumamos improvisar.

Access: Há alguns clássicos pop em particular que gostem de tocar?
Rory: Digo-te uma coisa, os miúdos adoram aquela canção clássica do 'Glee'. Sabes, a canção do 'Glee'. Aquela que é assim (começa a cantar) ‘just do it, I’m just a na-na-na…’ Sabes qual é?

Access: Não tenho a certeza que sei. Tocam tantas.
Rory: Sinceramente, nunca vi a série e isso é outra coisa. Não vejo televisão. Não consegui ver toda a primeira temporada de Game of Thrones... O David e o Dan convidaram-me a sentar-me numa sala de projeções para ver os episódios, o que soava bem, mas 10 horas sozinho a ver Game of Thrones? Acho que não conseguia fazer isso. Vivo no campo, por isso acho que também eu vou ter de esperar pelo DVD.

Access: O facto de viveres num sítio isolado significa que não te apercebes das reações dos fãs de Game of Thrones como outros em cidades grandes?
Rory: Não diria que sou muito social... Ou ando a velejar sozinho no meu barco ou a viver num sítio pequeno. Estou prestes a mudar-me para um local que só é acessível indo num barco a remos por um lago, e aguardo ansiosamente. Não tem eletricidade nem nada.

Access: Já tiveste oportunidade de desfrutar da glória da reação dos fãs a tudo isto, porque as pessoas realmente adoram a série, eu incluída.
Rory: Percebo que isto é enorme e que há muitos fãs e que estão a adorar a série. Ocasionalmente, explorei o site da série e outras coisas dos fãs, mas depois começa a ser demais e desligo o computador.

Access: Portanto, ainda ninguém desconhecido apareceu ao pé de ti e disse 'Rory! Adoro-te como o Hound'?
Rory: Nem por isso, para ser sincero. Para ser sincero, estive numa livraria ontem...

Access: Foste alvo de um reconhecimento de um "Grupo Literário"?
Rory: Isso acontece por vezes, mas estava numa livraria no outro dia, e estava com um aspeto particularmente parecido com o Hound. Um tipo que estava à minha frente na fila voltou-se - eu estava à espera de um café - olhou para mim com cara de medo e disse 'Santo Deus' (risos). Fiquei com a impressão que ele estava a ver o Hound, mais do que qualquer outra personagem que tivesse interpretado.

Access: Isso é porreiro. Talvez seja divertido...
Rory: O que acabei de descobrir, e que me fascina, é que o meu nome, McCann, não se traduz como 'Filho de Ann'... Vem de 'Canis' - como em 'canino' e 'cão'. O meu nome - Rory McCann - significa Rory Hound, Rory Wolfhound. Dá para acreditar?

Access: A sério?
Rory: Muito a sério... Como em 'canino'. Vem dessa palavra. Não vem de 'Filho de Ann', e é intrigante.

Coisa mais fofa não, a fonte foi a página do Game of thrones PT :) Passem lá 

Beijocas enormes e morrendo de saudades de vocês ;)



12 de dezembro de 2013

Aviso

Devido a última (e pior ...) semana de provas na Universidade os post voltaram apenas durante o recesso de natal!
Mas não fique triste....
Saia da Internet e leia um livro!

Beijokas

28 de novembro de 2013


Tenho Dó das Estrelas

Tenho dó das estrelas
Luzindo há tanto tempo,
Há tanto tempo?
Tenho dó delas.

Não haverá um cansaço
Das coisas,
De todas as coisas
Como das pernas ou de um braço?

Um cansaço de existir,
De ser,
Só de ser,
O ser triste brilhar ou sorrir?

Não haverá, enfim,
Para as coisas que são,
Não morte, mas sim
Uma outra espécie de fim,
Ou uma grande razão ?
Qualquer coisa assim
Como um perdão?


Fernando Pessoa


27 de novembro de 2013

~Novos marcadores

Pedi para editora :)

Ganhei da Luise

Ganhei da Luise
E como vai a coleção de vocês?


25 de novembro de 2013

#Playlist da semana...

Mais uma semaninha...
:) Mais um Play... 
espero que gostem,,,










,,,,é isso pessoal só aumentar o soom... e curtir.. bjokas
Volto durante a semana pra falar do novo disco do MotörHead :)


24 de novembro de 2013

Livro: A corista e outras histórias - Tchékhov


Sinopse - A Corista & Outras Histórias - Anton Tchékhov

Tchékhov é um dos maiores contistas da história da literatura. Ao lado de Gogol, Maupassant, Poe e outros poucos privilegiados, ele compõe a seleta galeria daqueles que elevaram o gênero a sua altura máxima. Tchékhov aborda os temas comuns, cotidianos. A partir de vidas na maioria das vezes inexpressivas produz uma literatura genial. A rotina, a mesquinhez, as idiossincrasias de seus personagens são expostas na dimensão humana mais ampla, combinando os grandes e os pequenos gestos. Não há mistificação, mas há generosidade. Há humor e autocomiseração. Muitas vezes há também melancolia, vidas que deveriam se cruzar e se perdem. Sua matéria-prima são pessoas comuns, vidas comuns, e o resultado é uma obra eterna, definitiva.

Pequena opinião...

Na descrição desse pequeno livro é dito: "Ninguém melhor que Tchékhov compreendeu a tragédia contida nas pequenas coisas da vida!" (Máximo Gorki)

Eu to apaixonada por essa coleçãozinha da LPM, o preço, o formato, e os títulos são surpreendentes, meu primeiro contato com o autor foi  "A dama do cachorrinho e outras histórias" Aonde ele traça pequenas trágedias humanas, que poderiam acontecer com qualquer um.

Ele é um autor de contos e tem seu lugar na fama ao lado de Poe, Gogol entre outros. Mas o que se surpreende em sua obra é o fato de ele descrever os problemas do cotidiano. problemas que levam o homem a revelar suas faces mais negras, ou as coisas mais privilégiadas. Para mim esta é uma obra reflexiva, afinal qual seria realmente a maior natureza humana?

São oito os contos que compõem esta edição: A palerma, O gordo e o magro, Ele brigou com a esposa, A carteira, A corista, A dama do cachorrinho, A noiva e Trapaceiros à força - Historinha de Ano-Novo.

Meu favorito é "A Palerma" pois é um conto sobre o julgamento do homem sobre seu semelhante, junto com a covardia das pessoas por lutarem pelos seus atos e seus direitos.

É um livro curtinho, gostoso, capaz de instigar o leitor a uma leitura rápida, e de qualidade!

Degustação:

{...} Fiquei  olhando quando ela se afastava e pensei: "Como é fácil ser poderosos nesse mundo!". (pág 6)
                                                        -------------X------------

Espero que tenham gostado dessa pequena opinião, que tal deixar um comentário e fazer esse blogueiro feliz!
Beijos e bom domingo!


23 de novembro de 2013

Poesia...

Contemplo o lago mudo

Contemplo o lago mudo 
Que uma brisa estremece. 
Não sei se penso em tudo 
Ou se tudo me esquece. 
O lago nada me diz, 
Não sinto a brisa mexê-lo 
Não sei se sou feliz 
Nem se desejo sê-lo.

Trêmulos vincos risonhos 
Na água adormecida. 
Por que fiz eu dos sonhos 
A minha única vida? 

Fernando Pessoa


22 de novembro de 2013

Diário Aberto...

Oie Gente tudo bene...
As novidades são pouquinhas, mas vamos conversar um pouquinho mais, vamos...
Fim da feira do livro eu acabei comprando mais dois livrinhos que foram...

Dois da sextologia de Sharpe, to finalmente lendo meu lindo Rei do Inverno das cronicas de Arthur e simplesmente apaixonada pela escrita e pela pesquisa histórica que o autor colocou em seu texto.

Assim que der leio e conto como foi...







Outra coisa linda que tenho feito é escrever cartas, é tão relaxante e pretendo colocar algumas no correio amanhã se o tempo colaborar, e também se der tempo de fazer tudo!

Está tão divertido!

:)

~Voltei a fazer minhas pequenas opiniões sobre livros de-êm uma olhadinha nos posts...
Espero que estejam, gostado...

~Fui com o pai ver como estão as obras de restauro na estação de Trem da cidade e olha o que encontrei...
Vai ficar muito bonito o trabalho!


~Comprei meu primeiro DVD para iniciar a minha coleção de filmes e documentários...

~Escrevi com pena e nankin mas não me sai muito bem não mas valeu a tentativa....

~A dieta vai indo, mas ainda não fiz minha pesagem desse mês.

~Faço provas de inglês essa semana.... aiaiaiaiaaiaiaiai..... esses simples past rsrsrsrs

~Voltei a cozinhar... consegui fazer uma bela pizza de massa podre essa semana :) #ILikeIt

Acho que estas são todas as minhas novidades e quais as suas, beijokas enormes e até o próximo post :)


20 de novembro de 2013

Conto: A besta Negra de Belleterre - Mary Jo Putney


Sinopse:
A Besta Negra do Belleterre - ( The Black Beast of Belleterre ) Antologia Christmas Revels - Mary Jo Putney
A história da Bela e a Besta na Inglaterra vitoriana. A besta negra do Belleterre tem um herói: James Markland, barão de Falconer, que cresceu em solidão e, além disso, está desfigurado por uma lesão. Leva um capuz para ocultar seu rosto, e vive em solidão. Um homem chamado Sir Edward Hawthorne toma emprestada uma quantidade substancial de dinheiro dele, e não pode devolver. Quando vai enfrentar ao senhor Hawthorne, vê de longe a Ariel, sua formosa filha. Logo se inteira de que Sir Hawthorne tem a intenção de casá-la com um homem mais velho com o fim de pagar a seus credores. Falconer se oferece em seu lugar, a contrair matrimônio só de nome com Ariel.

Uma pequena divagação...

Quem gosta de romances estilo de banca, sabe como as coisas são complicadas no Brasil, desde o fechamento da diva nova Cultural, que sempre tinha diversos lançamentos por mês, com histórias de todos os gostos.

Uma das soluções encontradas são as traduções livres que mulheres fãs desses romances se reúnem e traduzem a obra e distribuem por grupos de e-mail e em blog.

Falo isso porque esse romance extra fofinho que vou falar agora foi achado assim, amado, lido e relido.

Faz algum tempo, desde "Amor proibido" que um romance não tocava tão findo nesse coração apaixonado, tudo por causa desse mocinho. E da narrativa de sua vida.

James teve uma vida difícil cheia de dor e solidão. Por causa de uma deformidade no rosto é completamente isolado do mundo por seu pai após a morte de sua mãe e até os 36 anos não sabia e nem tinha esperança de descobrir o que era o amor e a felicidade plena.

Ariel nunca gostou da sociedade londrina e tinha uma relação muito ruim com seu pai, que além de nunca ser presente era viciado em apostar em jogos, cavalos etc. Suas apostas o fazem ser obrigado a pedir um empréstimo a James, que depois de ver Ariel sente pena por seu pai querer casá-la com um velho nobre para pagar suas dívidas e propõe um casamento só de nome.

A história dos dois é linda, a mocinha se sente muito triste por não ter a atenção de seu marido e o mocinho sente que sua linda esposa jamais poderia aceitá-lo por causa de sua deformidade.

Tá vocês devem tá se perguntando, mas como uma história tão fofinha e tão bobinha tem, de espetacular, simplesmente a narrativa, a forma com que a autora descreve os acontecimentos na vida dos dois, é algo que pode se acontecer com qualquer um. Quem nunca foi julgado por causa da aparência, quem nunca sofreu as consequências da indisposição do outro, quem sabe realmente como demostrar afeto.

Ai que tá esse livro nos faz pensar o quanto as vezes a flata de comunicação, ou de simplesmente aceita as pessoas e coisas como elas são podem transformar a infelicidade em felicidade.

Eu recomendo a leitura muito, principalmente para as fãs de carteirinha de romances, para conseguir esse pequeno livrinho só procurar no google ou nos grupos de distribuição.

Degustação:

-"Os livros tinham sido inventados para salvar a solidão humana, e eram, amigos sem par, amigos que nunca burlavam, estremeciam- se ou riam às costas de um homem. Os livros revelam seus tesouros a todos os que tomam o esforço de procurar." (pag 5.)
Nem preciso dizer que ganhou 5 estrelinhas mais dois milhões de coraçõeszinhos fofos...
E você, já leu? ficou curioso? que tal deixar um recadinho?
Beijocas!
E boa leitura :)